Hábitos dos consumidores que afetam o comércio eletrônico

Do ecommercenews.Habitos-de-consumo-na-palma-da-mao-televendas-cobranca

Que fazer compras pela internet tem atraído cada vez mais adeptos, isso não é exatamente uma novidade. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), é estimado que quatro milhões de consumidores comprem pela primeira vez pela internet neste ano. E os lojistas também aproveitam esse movimento. Conforme foi revelado por uma pesquisa divulgada pelo PayPal e pela BigData Corp., o número de websites de comércio eletrônico no Brasil cresceu 21,5% nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro.

O maior número de consumidores também ocasiona em perfis mais sofisticados. Clientes mais atenciosos, exigentes, antenados e sempre em estado de alerta faz com que os lojistas virtuais se adaptem constantemente. Para ilustrar isso, o sócio-fundador da Betalabs, empresa especializada em gestão de comércio eletrônico, Luan Gabellini, listou quatro hábitos que comumente afetam a rotina de lojistas virtuais. Veja o que diz o especialista:

Um consumidor mais exigente

Diante da grande oferta de e-commerces no mercado e da comodidade de se pesquisar em poucos cliques um produto em múltiplas lojas, o consumidor contemporâneo vem se tornando cada vez mais exigente e, diferentemente do que a maioria dos lojistas possa imaginar, oferecer o menor preço já não é mais garantia de venda certa. Hoje outras variáveis ganharam destaque aos olhos do cliente na hora de comprar online, dentre as quais se destacam: facilidade e instintividade de navegação e do fluxo de compra na loja virtual; avaliações, comentários e reputação da marca dentre seus consumidores; prazos e fretes; condições e suporte para diferentes formas de pagamento; qualidade do atendimento e atenção com o cliente no pós-compra.

Sempre conectado nas redes sociais

Redes sociais exercem grande influência no consumidor contemporâneo que, em muitos casos, passa grande parte do seu dia checando seus perfis em redes como Facebook, Twitter, Instagram ou YouTube. Investir na criação de páginas, perfis e canais neste tipo de mídia é essencial na hora de pensar em estratégias de marketing e no estreitamento do relacionamento com o cliente.

Usuário recorrente de comparadores de preço

Apesar do preço não ser mais o único fator levado em consideração pelo cliente na hora de comprar, sua importância é inegável para o processo e é exatamente por isso que ferramentas de comparação de preço como o Buscapé ou o Google Shopping são rotineiramente acessadas pela maioria dos consumidores na hora de pesquisar sobre um produto que desejam. Além de, como o nome já supõem, apresentar o preço de uma mesma mercadoria em diversas lojas de forma prática, a maioria dos sites especializados neste tipo de serviço também conta com índices e classificações que podem dizer muito a respeito da imagem da marca e de sua reputação quanto à qualidade do atendimento e entrega de produtos no devido prazo.

Compra através de múltiplos canais

Você já ouviu dizer que seu negócio precisa ser Omnichannel? Sabe o que isto significa? Pois bem, quando falamos em Omnichannel pensamos em uma loja que esteja presente em múltiplos canais de venda e que permita que o consumidor transite livremente entre os mesmos durante seu processo de compra. Isto significa, por exemplo, permitir que seu cliente pesquise por um produto em sua loja online, tire suas dúvidas no televendas e vá até a loja física para concluir a compra. Em um mundo onde a linha divisória entre comprar online e comprar fisicamente se torna cada vez mais tênue, investir neste tipo de solução para sua loja deixou de ser um diferencial competitivo e se tornou uma necessidade para sobrevivência do negócio.

Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *